O efeito mágico das comunidades para colar seus consultores no Marketing Multinível

Esta é a segunda parte do artigo “Os 4 ingredientes mágicos, gratuitos e abundantes que chegam a triplicar a retenção de consultores no Marketing Multinível”.

Se ainda não leu a parte anterior, eu recomendo que clique aqui para acessá-la agora. É importante que comece por ela para acompanhar o raciocínio e aproveitar melhor cada informação.

(Continuação)

Antes de acrescentarmos o segundo ingrediente nesse caldeirão, precisamos aumentar a temperatura e mexer mais um pouco:

– Eu estive pensando e não concordo com você.
– ?
– Você disse que os 4 ingredientes são visão, comunidade, progresso e valorização. Eu acho que são importantes, mas está faltando o principal!
– Qual?
– Resultado! Se as pessoas não têm resultados, desistem!
– Fato.
– ?
– Concordei com você.
– Mas como fica essa história?
– Nada é mais importante que resultados.
– Eu já disse isso primeiro! Como você corrige essa receita agora?
– Não corrijo.
– Como assim?!
– O que são resultados pra você?
– Ganhar dinheiro, oras!
– Quanto? Em quanto tempo?
– Sei lá! Depende da necessidade de cada um…
– Depende mais da necessidade ou da visão?
– Como assim?!
– Você estaria disposto a trabalhar de graça?
– Claro que não!
– Se soubesse que tem um tesouro enterrado no seu jardim, estaria disposto a procurá-lo sem ganhar nada, por quanto tempo?
– …
– Quantas horas por dia você escavaria? Abriria mão de outros afazeres, curso de inglês, jogo de futebol etc., para procurar mais rápido?
– Sim, mas eu também precisaria de dinheiro para sobreviver.
– Quanto? Estaria preocupado em ganhar muito no curto prazo?
– Não. Poderia ser o mínimo.
– Esse é o ponto. Quanto melhor a visão de futuro, menor a necessidade de resultado no curto prazo.
– Mas não dá para ficar no prejuízo por muito tempo.
– Concordo. Vamos ao segundo ingrediente?
– Ok!

Resultados que vão além da conta bancária

A preocupação do Tico em ganhar dinheiro é muito importante, mas poderíamos expandir essa discussão, considerando outros benefícios que o Marketing Multinível proporciona para seus profissionais, como reconhecimentos, desenvolvimento pessoal e socialização.

Não podemos ignorar que muitas pessoas bem-sucedidas financeiramente em outras áreas buscam no Marketing Multinível esses resultados.

De qualquer modo, o que realmente importa aqui é reconhecer que não temos como garantir os resultados financeiros dos nossos consultores, quanto e quando serão alcançados, pois isso depende do nível de preparo, da dedicação e outros fatores que são particulares em cada contexto.

Com raras exceções, sabemos que um resultado consistente só virá após dois a cinco anos de empenho, em qualquer empresa séria do setor.

É muito tempo? Depende. As pessoas trabalham décadas em suas profissões e não têm resultados satisfatórios. Aliás, a maioria entra no Multinível sem saber sequer como planejar sua vida pessoal.

Sejamos francos, o processo de transformação que forma Diamantes é muito mais emocional e profundo do que técnico. Depende do exercício diário de novos hábitos e pensamentos, de modo que o resultado financeiro é apenas uma consequência de tudo isso.

Acreditar que as pessoas permanecem no Marketing Multinível por mais de seis meses por causa dos resultados financeiros é uma fantasia de quem nunca teve negócio na vida, nem passou pelos altos e baixos de qualquer empreendimento.

A magia que “cola” consultores no Marketing Multinível no negócio e os desenvolve como líderes não tem absolutamente nada a ver com dinheiro.

Estamos prontos para prosseguir.

O Marketing de Relacionamento Sem Marketing

– Você só pode estar maluco!
– Será?
– Já foi difícil engolir negócio sem focar em números. Agora vem com essa história de “Marketing Sem Marketing”!
– Não gostou?
– Por que não chamou só de “Relacionamento”, então?
– Porque eu queria te provocar.
– %$*&!*#*!
– Calma, não é “provocar de irritar”, é “provocar de pensar”.
– Então explique!
– As pessoas estão indo com sede demais ao pote.
– ?
– As redes sociais misturaram tudo, vida pessoal e trabalho. Está todo mundo estressado, 24h por dia pensando em fazer Marketing.
– Quem faz Marketing Multinível, né?
– Não. Todo mundo. Cada selfie no Instagram é uma peça de Marketing.
– Marketing Pessoal?
– Claro. As pessoas estão projetando suas versões ideais, imaginárias, mas estão cada vez mais distantes do que realmente são. Tornaram-se reféns de status e projeção social.
– E o que isso tem a ver?
– Essa é a maior oportunidade da história.
– Marketing Multinível?
– Não. Relacionamento.
– ?!
– Onde você quer chegar?
– No fundo, esse é o produto que todo mundo quer comprar. Se você entregar isso para a sua rede, ninguém vai querer se afastar.
– Mas o negócio, como fica nessa história?
– O negócio acontece em paralelo, aproveitando a comunidade que você cria, conectando pessoas por valores e emoções.
– ?
– As pessoas odeiam apresentações e treinamentos repetitivos, mas adoram estar com seus amigos, em uma comunidade positiva.
– Explique melhor isso!
– As redes que mais estão crescendo no mundo quase não falam de negócios e números. Falam de sonhos, conhecimentos, experiências e emoções.
– E os produtos?
– Vão junto, no embalo.
– Daqui a pouco você vai entender.

Recordes estão sendo batidos no Marketing Multinível mundial, por pessoas que descobriram métodos de fazer o negócio não parecer um negócio. Fazem apresentações que não parecem apresentações, vendas que não parecem vendas, treinamentos que não parecem treinamentos e ganham fortunas que não parecem fortunas.

A ostentação material deu lugar à liberdade e ao estilo de vida, de empreendedores que não precisam mostrar o saldo bancário para atrair milhões de seguidores.

Voltando ao planeta Terra

Tudo o que foi falado antes é real, mas existe um caminho a ser seguido, antes de reproduzir o mesmo efeito na sua rede.

Guarde apenas a informação mais importante da história de todos os tempos da galáxia: TEM QUE SER UMA COMUNIDADE ATRATIVA.

Não importa como você desenvolve o negócio hoje, a empresa, o plano, os produtos, o mercado, a cidade, o meio… não importa. Isso precisa ser viável, mas o que realmente vai alavancar seus índices de retenção é a FELICIDADE das pessoas que compõem a sua comunidade.

No treinamento específico sobre “retenção” que fiz em 2010 (parte integrante do Curso 10 Chaves do Marketing MULTINÍVEL EXPLOSIVO!), falei muito sobre a questão de gerar VALOR, de todas as formas e no menor tempo possível, para compensar a dor do crescimento, inerente à construção de qualquer negócio.

Agora, a lógica é a mesma, porém a urgência é maior, na medida em que as pessoas estão expostas a muito mais estímulos e atrativos do que antes.

A nova geração não está muito interessada com os ganhos milionários do futuro, se o presente for chato como se tornaram as “reuniões de negócios” de muitas redes por aí.

Por que a comunidade é o segundo ingrediente?

O ser humano é um animal social, que precisa do outro para se completar.

Nunca estivemos tão conectados, mas nossas conexões nunca foram tão superficiais e dinâmicas. Como consequência, temos milhares de contatos acessíveis por um clique e quase nenhum amigo de verdade.

Nunca estivemos tão solitários, carentes e depressivos, pois nosso círculo íntimo está fragmentado. Aquele pequeno grupo formado por parentes e amigos próximos não tem mais tempo para conversar, com a atenção necessária para preencher nossos vazios existenciais.

Igrejas e escolas ainda cumprem parcialmente esse papel, mas também tiveram que se reinventar, incluindo a diversão como caminho para aproximar e reter seus membros.

– Ainda quero entender o que isso tem a ver com Multinível…
– Qual é a parte mais legal das igrejas e das escolas?
– O conteúdo.
– Tem certeza?
– Os relacionamentos?
– Também.
– O que mais?
– A causa que projeta a visão coletiva e dá sentido a esses relacionamentos. As contribuições em equipe, que fazem as pessoas se sentirem importantes no grupo. As associações positivas…
– As associações positivas.
– ?
– Não são todos os relacionamentos que nos interessam, mas alguns nos inspiram a crescer. São exemplos que admiramos.
– Seriam modelos?
– Sim, aprendemos muito por observação e esse convívio com pessoas melhores nos estimula a evoluir também.
– Este é o papel do “Sistema” no Marketing Multinível?
– Um dos papéis mais importantes, mas as comunidades não dependem do Sistema. Existem outras até mais importantes.
– Como assim?
– Sua linha de patrocínio também define uma comunidade, que tem características diferentes do Sistema. Seus downlines formam uma comunidade e você também pode ter grupos separados por perfil, método de trabalho etc.
– Agora me surgiu uma dúvida…

O que exatamente define uma comunidade?

Essa é uma das questões mais importantes, que fará uma grande diferença nos resultados daqueles que a compreenderem.

– Nem todo mundo que faz parte de um grupo faz parte da sua comunidade.
– Explique melhor, por favor.
– Comunidade é um grupo de pessoas alinhadas pelo coração.
– “Putz”, lá vem você de novo com essas viagens!
– Não é viagem, é o “pulo do gato”!
– Como isso acontece, afinal?
– A comunidade só tem efeito quando há uma conexão emocional positiva em torno de uma causa comum, e isso não pode ser imposto a todos.
– E como sabemos quem faz parte ou não da comunidade?
– Fácil. Os membros de uma comunidade se doam para a causa que defendem em conjunto, colocando os interesses da maioria acima de seus interesses individuais.
– São as pessoas que trabalham para a Igreja, por exemplo?
– Sim, é um exemplo, mas a causa não precisa ser da instituição que viabiliza o encontro daquelas pessoas.
– Não entendi.
– Por exemplo, um grupo de mulheres se reúne dentro da Igreja para promover um bazar e doar os recursos para uma instituição de caridade. Ou um grupo de alunos da escola se organiza para estudar assuntos que expandem sua formação.
– Ou para montar uma banda de rock! (Risos)
– Que seja! São interesses pessoais que conectam seus corações em uma causa que dá sentido de pertencimento, importância, identificação e prazer, ou seja, FELICIDADE.

Comunidades são poderosas porque acrescentam VALOR a nossas vidas, sem que isso esteja diretamente relacionado com dinheiro e outros interesses pessoais diretos.

Sentir-se útil, querido e que todos estão no mesmo barco por uma causa é um antídoto contra a solidão angustiante dos tempos atuais, melhorando a autoestima e, consequentemente, a produtividade dos envolvidos.

Os membros de uma comunidade vão à Igreja por causa do culto, mas também porque desejam dar continuidade a seus projetos relacionados. Essa conexão “extra” aumenta a fidelidade das relações, produzindo efeitos indiretos de retenção dentro da Igreja, da escola ou do sistema em um negócio de Marketing Multinível.

Como formar comunidades poderosas

Uma comunidade precisa nascer de um motivo que realmente envolva seus participantes em torno de uma causa comum, de modo que todos se sintam beneficiários dos resultados daquela associação.

Boas comunidades envolvem a troca de recursos, em um ambiente respeitoso, de liderança participativa e expansiva.

Para que isso funcione no longo prazo e alcance seus objetivos, é importante que haja um acordo, com regras e limites, evitando que a vaidade de alguns prejudique o sucesso coletivo.

As comunidades mais duradouras acabam desenvolvendo seus próprios códigos e linguagens, que agilizam a comunicação entre seus membros.

As comunidades do Multinível

Todo profissional de Marketing Multinível já começa sendo convidado a participar de algumas comunidades que existem, como por exemplo:

1) Empresa: É formada por todos os consultores que estão comprometidos com o negócio. Apesar de muito numerosa, serve como fonte de inspiração, força e aprendizagem. Na prática, todos os grupos públicos em redes sociais atendem a esse objetivo, produzindo uma sensação de pertencimento e colaboração, nos consultores daquela empresa.

2) Linha de patrocínio: Na teoria, é formada pelo seu patrocinador, o patrocinador dele e todos que vieram antes, construindo as relações de liderança que chegaram até você. Quando existe harmonia entre os membros, é uma ferramenta poderosa de retenção, mas infelizmente nem sempre isso acontece, por questões de vaidade e desalinhamento.

3) Sistema: De um modo geral, tudo que se refere a eventos e treinamento faz parte desta comunidade, mas dependendo da empresa, o sistema oficial se subdivide em comunidades distintas, com características específicas e determinadas por seus líderes.

OBS: Entre a “linha de patrocínio” e o “sistema”, você pode organizar um grupo de estudos sobe desenvolvimento pessoal para começar a construir sua própria comunidade, integrando e fortalecendo seus downlines. Essa foi uma das principais ações que quintuplicaram o nosso faturamento, como explico nesse vídeo:

Clique para assistir

4) Região: A combinação das comunidades anteriores (empresa, linha de patrocínio e sistema) acaba dando origem a subsistemas e subgrupos com particularidades próprias. É uma comunidade que se orienta pelas demais, porém acaba tendo um efeito maior pela proximidade e convívio frequente de seus membros.

5) Método: Dependendo do negócio, ainda é possível adicionar um corte nas comunidades acima, em função do método de produção utilizado. Por exemplo, em empresas que têm mais de uma linha de produtos e/ou tática de negócios, voltadas a nichos específicos, como atletas, esteticistas, mulheres, empreendedores e internautas.

Poderíamos considerar que todo profissional de Marketing Multinível se insere em outras comunidades maiores, como “vendedores diretos”, “líderes” e “desenvolvimento pessoal”, podendo cruzá-las em suas cidades, com a finalidade de gerar contatos, confiança etc.

De modo prático, o que realmente funciona com efeito de “comunidade” são os grupos menores e mais próximos, por região ou por método, em que se formam times.

Dicas para envolver o novo consultor nas comunidades

Se entendemos que a comunidade tem esse poder de retenção, por gerar mais VALOR ao negócio, a partir dos relacionamentos, é inteligente adotar uma estratégia para envolver o novo consultor nas várias dimensões possíveis.

Não por acaso, as redes com melhores índices de retenção são aquelas que se especializam no que chamamos de “Patrocínio Responsável”, dedicando uma atenção especial ao acolhimento do novo consultor, conectando-o especialmente à linha de patrocínio e ao sistema.

Esta conexão envolve empresa, produtos, plano e políticas, mas principalmente se refere ao que chamo de filosofia e código.

– Filosofia?
– Sim, é a mentalidade que sustenta a liderança.
– Cite alguns exemplos, por favor.
– O maior filósofo de negócios de Marketing Multinível foi o Jim Rohn, mas existem outros pensadores que recomendamos para todos os profissionais, de todas as empresas, como Zig Ziglar e Napoleon Hill.
– Como se conecta isso aos novos consultores?
– A melhor maneira é através de grupos de estudos, pois a maioria das pessoas não gosta de ler a princípio. Os grupos tornam a aprendizagem mais divertida e agregam esse espírito de comunidade.
– Entendi.
– Os áudios também são ótimos para vencer essas barreiras iniciais, estabelecendo novos hábitos de pensamento.
– E código, do que se trata?
– O código já é específico do Multinível e tem uma camada própria dentro de cada empresa/sistema.
– Como assim?
– São comportamentos e práticas de sucesso comprovado, que sustentam a atividade de todo profissional de Marketing Multinível, como edificação, postura, comprometimento com o sistema, MOP e patrocínio responsável, entre outras.
– Onde se aprende tudo isso?
– Algumas empresas têm manuais e áudios com essa finalidade, mas também existem livros como Go Pro, Código Diamante e Guia de Ação.
– Participar de todos os eventos não é suficiente.
– Não. Esse é um erro muito comum, pois a maioria dos eventos têm uma finalidade mais objetiva, voltada a recrutamento e início rápido dos novos consultores. Na prática, o foco está em falar da empresa, produtos, plano de marketing, como convidar, vender, enfim, são dicas mais técnicas.
– E isso não é importante?
– Claro que é, mas tende-se a falar pouco de filosofia e código. Alguns treinadores abordam essas questões nos seus testemunhos, mas nem sempre cobrem todos os aspectos importantes para moldar a mentalidade dos iniciantes.

A importância de uma inspiração básica padronizada

Para formar uma rede de profissionais preparados e inspirados pelos melhores princípios, o ideal é eleger um conjunto de materiais básicos para servirem de referência nos primeiros 30-90 dias de negócio, de modo que todos bebam dessa mesma fonte e se integrem em uma comunidade de aprendizagem (MasterMind).

Esta foi a fórmula utilizada pelas organizações de Marketing Multinível que cresceram com maior velocidade e qualidade da história.

O material básico deve ser composto por uns três livros (finos e leves, para estabelecer o hábito da leitura), mais 10 áudios, com foco em abrir a visão, desenvolver crenças e hábitos fortalecedores, como disciplina, ética, comprometimento, colaboração etc. Isso servirá para formatar a filosofia e o código, tornando mais poderosa a comunicação entre seus membros e permitindo aos treinadores atuarem em um nível mais profundo.

Além desse material “neutro”, é importante que a empresa ou sistema disponibilize um manual com o padrão específico do negócio (como começar, fazer o primeiro pedido, primeiras apresentações, vendas e recrutamentos, como se conectar ao sistema etc).

O mais importante é não abrir demais o conhecimento no começo, pois quanto mais parecidas forem as táticas e linguagens utilizadas, melhor será a assimilação de todos (pela simplicidade e repetição).

Uma regra básica é que todo esse material possa ser assimilado em uma semana, por qualquer pessoa focada em se profissionalizar.

Deste modo, um novo consultor determinado será capaz de duplicar o mesmo padrão em uma semana, criando as condições ideais para a geração de um impulso coletivo.

– Isso melhora a retenção?
– Esse é o cimento do Marketing Multinível, meu amigo!
– O quê, exatamente?
– Filosofia + Código + Padrão de Sucesso + Comunidade
– Obrigado!

OBS: Na terceira parte deste artigo, falaremos sobre “Progresso”.

(Inscreva-se na minha lista VIP para ser avisado assim que estiver disponível)

  • Acabei de ler essa segunda parte. Excelente a forma como completou bem o primeiro texto. Aguardando o terceiro.

  • Jura Matos

    Muito bom Sergio é bem isto mesmo, estabelecer BASE, CÓDIGO, e aprendizados constantes. ” Não se constroe um edifício, da noite para o dia. Obrigado.

  • Ricardo Pscheidt

    O que seria do MMN sem você grande Sergio ?! Prefiro não pensar 🙂

    Conteúdo fantástico !

    Obrigado

  • Cleomar Almeida

    Quando vem o progresso?